Hospital Santa Cruz - Logotipo

Acessar


História

TesteO Hospital Santa Cruz foi fundado em 1939, e sua história está intimamente ligada à da imigração japonesa. Ao chegarem ao Brasil, em 1908, os pioneiros enfrentaram dificuldades com a comunicação, não se adaptaram às condições locais e consequentemente contraíram doenças como a malária, a verminose, a tuberculose e até doenças mentais. O atendimento médico no Brasil era precário, e o índice de mortalidade entre os imigrantes era enorme.

Em 1920, o então cônsul geral do Japão em São Paulo, Toshiro Fujita, informou o problema ao governo japonês, que sensibilizado com os seus conterrâneos, enviou recursos de 36 mil ienes. E foi fundado também o Brasil-Japão Dojin Kai, com sede em São Paulo, com o objetivo de prestar assistência aos japoneses e familiares com vacinação contra a febre tifóide, distribuição de soro antiofídico, realização de exames para tracoma, incentivo a pesquisas sobre malária e parasitoses intestinais e ainda, confecção de panfletos para divulgação de medidas profiláticas e sanitárias. Em outubro de 1926, a entidade compra terreno de 14.100 metros quadrados na rua Santa Cruz.

Em 1931, assume o consulado japonês em São Paulo Iwataro Uchiyama, e instituiu a Associação Médica Japonesa, que deu origem à Associação Pró-Construção do Hospital Japonês. A campanha de arrecadação foi prontamente atendida pelos imigrantes, que faziam suas doações mesmo que eles próprios estivessem em condições econômicas precárias. Em 1934, a campanha de construção ganha novo fôlego, com a doação de 50 mil ienes vinda do imperador Hiroito, simbolicamente no dia de seu aniversário, dia 29 de abril. Diante desse gesto da casa imperial, o governo japonês decide doar 900 mil ienes, quantia dividida em três parcelas anuais. Os materiais básicos de construção, como tijolos e cimento foram enviados pelo Japão.

Finalmente, em no dia 29 de abril de 1939, o Hospital Santa Cruz foi inaugurado. Era uma construção moderna e arrojada, com cinco andares e um subsolo, com quase 10 mil metros quadrados de área construída, com 76 quartos e 200 leitos, um projeto do médico Resende Puech, considerado um dos precursores da moderna arquitetura hospitalar. O primeiro aparelho móvel de Raio X na cidade foi instalado no Santa Cruz - o Hospital das Clínicas ainda não existia - e o atendimento, gratuito, era prestado sem discriminação racial ou de nacionalidade, como sinal de gratidão ao país que acolheu tão bem os imigrantes japoneses.

Passou assim a ser conhecido como o “hospital japonês”, mas pela excelência de suas instalações e serviços, atraiu os mais consagrados médicos brasileiros da época para ali aturarem, como os doutores Benedito Montenegro, Alípio Corrêa Neto, José Maria de Freitas, Henrique Mélega, Antônio Prudente, Euríclides de Jesus Zerbini, Anísio Costa Toledo e muitos outros. Juntamente com os renomados médicos japoneses, como Shizuo Hosoe, Yoshinobu Takeda e Sentaro Takaoka, constituíram a elite da medicina na cidade, mestres que comandavam no Hospital Santa Cruz uma verdadeira escola de cirurgiões, tradição vem sendo mantida até os dias de hoje.

Com a eclosão da 2º Guerra Mundial em dezembro de 1941, o Brasil rompeu as relações diplomáticas com o Japão e como o Hospital Santa Cruz fazia parte de um patrimônio de um país rival, foi colocado sob controle do governo federal e todos os bens foram congelados. Foi nomeado como interventor o Dr. José Maria Freitas, que juntamente com vários médicos japoneses, como o Dr. Shiguenobu Takeda continuaram a  realizar procedimentos cirúrgicos e atendiam os pacientes japoneses. Paralelamente, o Hospital prestava serviço ao Instituto Nacional de Assistência Médica e Previdência Social (Inamps) – hoje Sistema Único de Saúde (SUS). A situação de exceção que perdurou até 1945, e finalmente, em 1989, a comunidade nipo-brasileira se uniu em um bem sucedido movimento cívico que resultou na formatação da atual gestão do Hospital Santa Cruz, cuja administração está a cargo dos representantes da comunidade.

As marcas da cultura japonesa na instituição ainda estão presentes no Hospital Santa Cruz seja pelo atendimento personalizado e humanizado, seja pela qualidade dos profissionais que primam pelo atendimento cuidadoso e ainda, pelos equipamentos instalados. Os jardins típicos e monumentos em pedra registram a integração das duas culturas no nosso país, e reafirmam a vocação do Hospital Santa Cruz, de prestar atendimento médico hospitalar de qualidade com acolhimento e calor humano.

Galeria de Fotos

  • Equipe de Enfermagem treinadas pela Universidade de Keio - Japão
  • Confraternização da equipe de Enfermagem
  • Embaixados do Japão, Sr. Kuwashima, visita a construção do Hospital Santa Cruz
  • Construção - Concreto e ferragens trazidos do Japão
  • Terreno de 14 mil metros quadrados
  • Corpo Clínico do Hospital Santa Cruz -  Superintendente Geral Dr. Benedicto Montenegro
  • Inauguração em 1939
  • Tooro - Simbologia Japonesa
  • Hall de entrada do Hospital Santa Cruz
  • Personalidades na Inauguração do Hospital Santa Cruz
  • Cerimônia de lançamento da pedra fundamental
  • Recepção Central do Hospital Santa Cruz
  • Doação de Sua Majestade Imperial Hirohito, o Imperador Showa
  • Registros das Doações
  • Pedra Fundamental